18 novembro 2016

Sobre ansiedade

Boa tarde ! Quanta saudades daqui . Hoje  não vim falar sobre decoração ,sim sobre ansiedade e minha experiência vivida com essa inimiga da felicidade . Então , eu convivo com isso desde que me entendo por gente . Mas , foi aos sete anos de idade ,que tive minha primeira crise de pânico . Naquela época , não sabia o que era , achei que iria morrer . Minha família entrou em desespero , pois não é uma coisa bonita de se ver.Quando fui estudar,foi muito sofrido, tinha medo de falar em público , evitava pessoas , sempre achava que todos  estavam olhando para me críticar.O mais difícil de tudo ,foi a barreira que eu enfrentava com números ,  tinha um verdadeiro horror , pois não conseguia aprender .Lembro que ficava desenhando nas aulas de matemática. As pessoas ansiosas sofrem muito . Por tudo , pelo passado , pelo futuro . Somos pessoas inquietas,nossa mente é muito barulhenta . A ansiedade me fez fazer coisas que me arrependo , e de não fazer o que deveria ter feito . Somos inconstantes.Enjoamos fácil das coisas . Pois geralmente a ansiedade nos leva a hiperatividade ,ou vice versa . Não é fácil para a família conviver com um ansioso.Estou fazendo tratamento , tenho notado melhora . Acho que a primeira atitude é reconhecer  que precisamos de ajuda .Procurar um bom psiquiatra ,  tomar o remédio certo . Nunca é tarde pra recomeçar . O remédio dá equilíbrio . Não é do dia pra noite . O resultado é aos poucos.Terapia ocupacional ajuda muito . Plantas também , cuidar delas traz  paz. E se você também se sente assim...cuide se . ..a vida é muito curta para ser infeliz .

2 comentários:

Adriana Moreira disse...

Verdade, minha amiga!

A vida é muito curta pra gente viver ansioso(a). Bom mesmo é viver a dor e a alegria de todos os dias no próprio dia. Já diz a Bíblia que cada dia tem suas preocupações e a gente não pode querer voltar ao passado, nem se lançar para o futuro antes do tempo. É como tirar do pé uma fruta que ainda não amadureceu. Gosto ruim e amargo, quando seria doce e agradável quando chega ao ponto do amadurecimento.
Eu sei muito bem o que você vive, eu como expectadora. Meu marido é altamente ansioso e isso provoca muitas brigas. Felizmente, eu sou uma pessoa muito tranquila e a maioria das vezes não levo a discussão à frente! Não vale a pena! Mas, entendo o sofrimento dele, ainda que não experimente em mim mesma. Ele não quer ajuda profissional. Acha que isso é besteira e que não resolve nada. Infelizmente, não posso decidir por ele...
Mas, fico feliz que você tenha aceitado o tratamento e além disso, que esteja notando melhoras. Espero que você consiga superar todas as barreiras!

Um grande abraço,

Drica.

Iris Maria disse...

Lindas palavras amiga. ..muito obrigada pelo comentário e carinho. ..fico imensamente feliz !!!😘😘😘😘😘